Hierarquias


Hierarquias na Umbanda

            *Obs.: neste texto, todos os cargos anotados valem tanto para o sexo masculino quanto para o feminino, sem distinções.

            Para poder funcionar, de acordo com a expectativa religiosa e da sociedade, um terreiro se organiza hierarquicamente, segundo alguns parâmetros preestabelecidos, atendendo aos desígnios divinos e ao plano espiritual.
            Do ponto de vista humano, basicamente os terreiros estão estruturados da seguinte forma:
·         No topo, o sacerdote, que é o responsável pela estruturação das giras, da orientação aos consulentes, dos ensinamentos aos membros iniciantes e intermediários, entre outras funções;
·         Logo abaixo, os chamados “pai e mãe pequenos” que são aqueles que respondem diretamente ao sacerdote em sua falta, ajudam na orientação aos consulentes e ensinam aos membros iniciantes os fundamentos de Umbanda;
·         Em seguida, a curimba (formada pelos atabaqueiros,  instrumentista e cantores), as pessoas responsáveis pela cozinha, os responsáveis pela organização dos eventos do terreiro e aqueles que recepcionam os consulentes;
·         Na sequência, os médiuns da casa, formado pelos incorporantes e os cambonos.
·         E, por último, e nem por isso menos importante, a assistência, normalmente formada por parentes e amigos daqueles que trabalham no terreiro e pessoas da comunidade.
Para cada um dos níveis citados acima, dá para escrever páginas e páginas destacando importâncias, deveres e virtudes, não cabendo aqui.
Para ilustrar, vejamos hierarquicamente a estrutura de um terreiro:

Obviamente, essa estrutura varia de terreiro para terreiro, a ordem pode ser outra, as funções diferentes, os títulos diferentes, etc., mas é dessa maneira como enxergamos a estrutura.
Do ponto de vista divino e espiritual, a estrutura de um terreiro é vista de outra maneira: como um círculo, onde todas as funções e todas as pessoas são tão importantes quanto às outras.
Então, ilustrando a visão entre encarnados e desencarnados, temos:
Os encarnados vêem um terreiro hierarquicamente com uma pirâmide

Já para o plano espiritual, essa hierarquia é rotacionada, vista de cima, formando um círculo



onde todos os membros e freqüentadores de um terreiro se igualam,e a soma do trabalho e da energia de todos é que permite que a gira seja possível e funcional.

Saber da visão espiritual em relação a um terreiro nos ajuda a perceber, e ter certeza, de que todos, sem exceção, são importantes em uma gira, e analisando mais ainda, ninguém é superior a ninguém, pois as diferenças são partes da organização dos encarnados. O sacerdote é tão importante quanto aquela pessoa sentada no último banco da assistência, pois ambos permitem que energias sejam trabalhadas através de seus corpos em benefício de todos.